Rumi

imagem-mestre

Rumi é atualmente considerado um místico e poeta persa e é identificado com o sufismo e o misticismo sufi, em que os devotos buscam uma união mística com Deus. Jalaluddin Rumi nasceu em Balkh, na província da Pérsia, atual Afeganistão. Balkh era na época uma cidade proeminente e a família de Rumi oferecia serviços de ordem legal e religiosa. Fugindo dos Mongóis que estavam tentando conquistar a região, a família de Rumi viajou para várias cidades, finalmente instalando-se em Karaman, perto de Konya, onde fica hoje a Turquia.

O pai de Rumi era teólogo, professor e disseminador do Islã. Rumi continuou essa tradição e, após a morte de seu pai em 1231, assumiu o posto dele como professor proeminente. Essa parte do mundo era na época conhecida como Rum, nome derivado do Império Romano Bizantino que havia anteriormente o contido. O nome de Jalaluddin Rumi na religião e literatura deriva de Rum. Em 1244, Shams ad-Din (filho da religião), um devoto sufi itinerante de Tabrìz, tornou-se mentor de Rumi.

Ao longo de dois anos, Rumi e Shams ad-Din cultivavam uma amizade platônica e compartilhavam a mesma casa. Os Sufis tinham a tradição de amizades platônicas próximas baseadas em metas espirituais em comum. Anteriormente a essa amizade, Rumi era um renomado professor. Seus alunos ficaram ameaçados pela amizade de Rumi com Shams e ameaçaram-no. Shams ad-Din desapareceu subitamente em 1247 e Rumi compôs aproximadamente 30.000 versos de poesia, as letras de Lyrics of Shams of Tabrìz, expressando seus sentimentos diante do desaparecimento de seu amigo.

Ele mais tarde desenvolveu amizades espirituais profundas que também não foram bem aceitas por seus alunos. Esse amigo, Husam ad-Din Chelebi, tornou-se líder da ordem de Mevlevi após a morte de Rumi, em 1273. Rumi havia ensinado que “Muçulmanos, cristãos, judeus e zoroastas deveriam ser vistos através de um único olho”. Konya é hoje um local de peregrinação de milhares de pessoas.