Padre Pio

imagem-mestre

Padre Pio nasceu no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina, na arquidiocese de Benevento. Filho de Grazio Forgione e de Maria Giuseppa de Nunzio, foi batizado no dia seguinte, recebendo o nome de Francisco. Recebeu o sacramento do Crisma e a Primeira Comunhão, quando tinha 12 anos.

Aos 16 anos, entrou no noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, em Morcone, tendo aí vestido o hábito franciscano no dia 22 do mesmo mês, e passou a chamar-se Frei Pio. Terminado o ano de noviciado, fez a profissão dos votos simples e, em 1907, a dos votos solenes.

Depois da Ordenação Sacerdotal, recebida em 1910, permaneceu com sua família até 1916 por motivos de saúde. Em setembro desse ano de 1916, foi mandado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até à morte.

Padre Pio viveu em plenitude a vocação de contribuir para a redenção do homem, segundo a missão especial que caracterizou toda a sua vida. O momento mais prezado por ele era aquele em que celebrava a Santa Missa. Os fiéis presentes pressentiam a plenitude da sua espiritualidade.

Esforçou-se também por aliviar os sofrimentos e misérias de tantas famílias através da fundação da Casa Sollievo della Sofferenza (Casa Alívio do Sofrimento), inaugurada em 1956. Padre Pio fazia tudo à luz da fé.

Empenhou-se assiduamente na oração. Viveu imerso nas realidades sobrenaturais. Não só era o homem da esperança e da confiança total em Deus, mas, com as palavras e o exemplo, infundia estas virtudes em todos aqueles que se aproximavam dele. Durante mais de 50 anos, milhares de pessoas recorriam ao seu ministério e ao seu confessionário, em busca de conselho e conforto. Procuravam-no na igreja, na sacristia, no convento. E ele prestava-se a todos, fazendo renascer a fé, espalhando a graça, iluminando. Mas, sobretudo nos pobres, atribulados e doentes, ele via a imagem de Cristo e a eles se entregava de modo especial. Durante sua vida toda, experimentou os sofrimentos da alma. Ao longo de vários anos, suportou, com serenidade admirável, as dores das suas chagas. Recorreu habitualmente à mortificação para conseguir a virtude da temperança, conforme o estilo franciscano.

Era temperante na mentalidade e no modo de viver. Desde a juventude, tivera uma saúde frágil e, sobretudo nos últimos anos da sua vida, declinou rapidamente. Padre Pio faleceu aos 81 anos, no dia 23 de setembro de 1968. Uma multidão extraordinária homenageou-o em seu funeral.